NOVIDADE

O potencial de empregabilidade dos Clubes Esportivos do país

01

Fev

2014


Por Luiza Lourenço
E-mail: luiza.lourenco@gestaoesporte.com.br


A gestão esportiva é uma área de atuação que se encontra em evolução no Brasil. Frente aos Megaeventos e a movimentação cada vez maior da indústria dos esportes, os investimentos nesse campo ampliam e, consequentemente, geram uma demanda por especialistas aptos a contribuir com a profissionalização do segmento no país.


Considerando-se a relevância social, histórica e econômica que o Esporte apresenta, torna-se necessária a reflexão acerca dos parâmetros que regem as organizações atuais e dos valores que devem ser cultivados pelos profissionais do futuro. O pesquisador Luiz Carlos Pessoa Nery (2009), a partir das ideias doa autores Oliveira, Pereira e Almeida (2008), aponta a existência da gestão amadorista e profissional.


Na gestão amadorista, prevalece o tradicionalismo, centralização e há a presença de dirigentes não especializados com remuneração inexistente ou com valores não satisfatórios. Já na gestão profissional, predominam a visão estratégica, o foco nos resultados e a organização multidisciplinar sob a tutela de um gestor capacitado para tal, que geralmente é bem remunerado. No caminho para a profissionalização da Gestão do Esporte no Brasil, há um campo de atuação para ser explorado.


Tomando as organizações que regem os clubes esportivos como exemplo, pode-se observar como o campo de atuação é propício para a geração de novos empregos e ocupação de cargos de gestão por profissionais capacitados. Luiz Carlos Pessoa Nery (2009) apresenta um estudo realizado em Portugal, de autoria dos pesquisadores Oliveira, Carvalho e Bilhim (2004), no qual afirmam que, em média, existem 11 voluntários atuando nas diretorias dos clubes do país. Considerando-se que existem mais de dez mil clubes portugueses atuantes, é possível contabilizar 110.00 pessoas atuando nesses cargos, contabilizando cem milhões de euros de trabalho não remunerado, se elas dedicarem 3h por dia aos afazeres da gestão.


No Brasil, é prevalente a figura do cartola à frente dos clubes de futebol. São geralmente dirigentes que se encontram há muitos anos nos cargos e que muitas vezes guiam a instituição sob aspectos emocionais, valores pessoais, desconsiderando o planejamento para utilização de recursos ou gerenciamento de informações. Em 2012, dados da CBC indicaram a existência de 13.826 clubes no país, representando 55 milhões de pessoas associadas e sócios torcedores desses clubes. A partir dessa informação e dos resultados da pesquisa efetuada em Portugal, pode-se propor uma reflexão sobre o quanto essa prática movimentaria caso os investimentos fossem realizados no intuito da profissionalização das gestões.


Os clubes esportivos são as principais referências na geração de atletas de alto nível, sendo relevantes as suas existências e investimentos na qualificação. A partir daí, pode-se ampliar o pensamento também para as federações, instituições, academias de esporte e promoção do lazer. Por ser uma área de atuação com surgimento recente no país, a Gestão do Esporte ainda constrói seus alicerces de formação, enfrentando alguma resistência das antigas práticas de administração, o que torna ainda mais necessários investimentos na profissionalização e também interesse dos clubes e instituições na profissionalização da área.


Fonte imagens: 


fatordesucesso.com.br

www.uff.br


Referências bibliográficas e sugestões para aprofundamento


NERY, L. C. Análise do Perfil de Gestão Baseada no Discurso dos Dirigentes Esportivos de Clubes em Juiz de Fora. Dissertação apresentada à Universidade Salgado de Oliveira, Mestrado em Ciências da Atividade Física. 2009.

 

OLIVEIRA, André Esteves; CARVALHO, Maria José; DIAS, Francisco; BILHIM, João. Formação de dirigentes desportivos voluntários. Revista Portuguesa de
Gestão do Desporto. Ano 1. n.2. 2004 ISSN: 1645-8958 p. 53-61.

 

OLIVEIRA, Renato Schiavinato de; PEREIRA, Iara Cristina de Sousa; ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de. A gestão esportiva de categorias de base de basquetebol masculino em clubes da cidade de Campinas - SP. Revista Conexões, Campinas, v. 6, n. especial, 2008 - ISSN: 1516-4381 págs. 619 - 629.


http://www.cbc-clubes.com.br/site/institucional/portfolio2012.html#/14


 


COMENTE ESSA NOVIDADE
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
A Gestão do Esporte na Fábrica de Atletas
A Gestão do Esporte na Fábrica de Atletas
O caminho até os Jogos Olímpicos: considerações sobre legados esportivos
O caminho até os Jogos Olímpicos: considerações sobre legados esportivos
Aspectos do Comportamento Motor: por que o gestor deve estar atento a isto?
Aspectos do Comportamento Motor: por que o gestor deve estar atento a isto?
A questão estrutural que envolve a relação entre as entidades esportivas
A questão estrutural que envolve a relação entre as entidades esportivas
GALERIA

Conheça os Profissionais GestãoEsporte.com

PUBLICAÇÕES
publicado em 29 de junho de 2014
Vol. 4, No 1 (2014) Revista Intercontinental de Gestão Desportiva<< Leia mais >>
publicado em 21 de maio de 2014
Vol. 4 (2014) Suplemento 1: I Congresso Internacional de Responsabilidad Social y Corporativa y Gestión Deportiva<< Leia mais >>
publicado em 23 de janeiro de 2014
Vol. 3 (2013) Suplemento 2: XIV Congresso APOGESD - Da Liderança à Inovação: O Papel do Gestor Desportivo<< Leia mais >>
publicado em 23 de janeiro de 2014
Vol. 3 (2013) Suplemento 1: V Cong. Brasileiro sobre Gestão do Esporte - Gestão do Esporte no Brasil: Vicissitudes, Limites e Formação<< Leia mais >>
Gestão Esporte :: O seu ambiente virtual para discussões esportivas :: Juiz de Fora - MG

(32) 9801-0111

(32) 8707-6229